You are currently viewing A Pandemia e os desafios das franquias de 2020 e 2021

A Pandemia e os desafios das franquias de 2020 e 2021

A Pandemia e os desafios das franquias de 2020 e 2021


A pandemia da Covid-19 trouxe muitos desafios para as empresas. Algumas precisaram paralisar suas operações e outras colocaram os funcionários em home Office e infelizmente muitas demitiram. De uma hora para a outra, a casa virou escritório de trabalho e residência para milhares de trabalhadores.

E muitos que perderam seus empregos vislumbraram a oportunidade de abrir seu próprio negócio e deram a volta por cima da crise.
Algo que ajudou esses novos empreendedores foi investir em uma franquia, pois é um modelo de negócio já estabelecido e com todas as diretrizes para o parceiro franqueado crescer como um empreendedor.


A ABF, Associação Brasileira de Franchising, divulgou uma ampla visão do cenário atual das franquias no Brasil, com base nos resultados de 2019.
Mercado de franquias no Brasil
Na análise da ABF, uma das principais mudanças foi no balanceamento entre os formatos de unidades. As franquias de lojas decaíram de 88% para 85%, enquanto outros modelos, como quiosques e home based, cresceram 12% para 15%.


Esses novos formatos de franquias, contribuíram para que o franchising continuasse a abrir novas unidades, mesmo nesse período de crise. Isso porque as microfranquias são opções de expansão com investimento inicial de até R$ 90 mil.


O impacto do coronavírus no franchising


O impacto do novo coronavírus foi sentido no mercado de franquias. No Brasil e no mundo, as consequências econômicas da pandemia impulsionaram uma série de novas tendências de negócios e de reorganizações em negócios que lutavam contra a falência.
Alguns dos problemas enfrentados pelos franqueados durante os momentos mais severos da pandemia foram:
• queda nas vendas;
• impossibilidade de operar em negócios físicos;
• problemas de abastecimento;
• comunicação com franqueados.
Agência Sebrae de Notícias avaliam que o franchising foi um dos setores com menor impacto durante a pandemia.


De acordo com a ABF, em agosto de 2020, apenas 1% da unidades no país fecharam as portas e perdas caíram nos últimos meses. A organização também complementou, dizendo que em junho, a queda média no faturamento das franquias foi de 30,1%, significativamente menor do que os 41% em maio e 48,2% em abril.


Quais são as perspectivas para o futuro?


Nos próximos anos, a tendência é de que as melhores franquias para investir sejam as microfranquias e franquias online. Deve haver um aumento na venda de franquias de maior porte, por conta da queda dos juros.
A microfranquia como a Passei e Dobrei continuará ser uma ótima opção de investimento, pois é um modelo de negócio para trabalhar em casa e baixo investimento.

Deixe uma resposta